Sobre

A ideia deste sítio eletrônico surgiu a partir da impossibilidade de continuar ministrando oficinas de antropologia junto a crianças no ano de 2020 devido à pandemia do covid-19 ―  as oficinas integram um projeto de extensão que eu vinha desenvolvendo na Universidade Federal de Uberlândia, onde atuo como docente em Antropologia a partir do Instituto de Ciências Sociais.

Eu gostaria de continuar, de alguma forma, buscando instigar encontros sensíveis com crianças a partir de temáticas antropológicas, e então pensei em compartilhar referências de materiais em diversos formatos, como livros, músicas ou fotografias, de forma análoga ao que fazemos nas oficinas, mas agora em um sítio eletrônico.

Então, com a construção do sítio, resolvi compartilhar também outros materiais, como os episódios sonoros do podcast Poéticas Sociais: experiências humanas em textos literários, e também um pouco do que aprendi no Médio Jequitinhonha junto aos agricultores e agricultoras, cantadeiras e cantadores, com quem mais convivi no decorrer de pesquisas na região. Neste caso, especialmente por meio de imagens fotográficas e desenhos.

De forma geral, pode-se dizer então que o objetivo, ao criar o Poéticas da Terra: sensibilidades antropológicas, é agregar e tornar disponíveis uma série de referências e/ou materiais associados a projetos e pesquisas em antropologia que priorizam a sensibilização para a diferença por meio do uso ou produção de fotografias, filmes, desenhos, músicas, elaborações sonoras, escritas etc. Além de compartilhar alguns projetos que desenvolvi ou venho desenvolvendo enquanto docente em antropologia, também apresento outras ações realizadas por colegas da área.

Considero que essa pode ser uma forma de contribuir, mesmo que minimamente, para afinar o diálogo entre universidades, coletivos e pessoas diversas, não necessariamente ligados à academia. Aqui, pretendemos que esse diálogo seja sensível, trafegando por sons, imagens e poesia enquanto articula pensamentos e sentimentos.

Valéria Cristina de Paula Martins